Evangelho do dia:Naquele tempo, houve um casamento em Caná da Galileia. A mãe de Jesus estava presente. Também Jesus e seus discípulos tinham sido convidados para o casamento (Jo 2, 1-2).

terça-feira, 21 de abril de 2015

RITUAL DA MISSA

2. VAMOS AO ENCONTRO DO SENHOR 
  "Na missa, o povo de Deus é convocado e reunido, sob a presidência do sacerdote que representa a pessoa de Cristo, para celebrar a memória do Senhor ou o sacrifício eucarístico" (IGMR 27). É a presença de homens e mu- lheres que se encontram, felizes por se reconhecerem como convocados por Deus. São pessoas que se reúnem na fé, em nome de Cristo, conduzidas pela ação misteriosa do Espírito. Daí emerge o sentido da assembleia litúr- gica.
  Hoje, em meio aos inúmeros compromissos inerentes à vida profissional e social, tomar parte da celebração eu- carística é séria opção. No passado, as pessoas eram movidas pelo preceito: "Participar da missa inteira nos do- mingos e outras festas de guarda e abster-se de ocupações de trabalho". Hoje as decisões são tomadas com base nas motivações. Contudo, se uma pessoa deseja ter vida sabia, sente-se obrigada a alimentar-se sadiamente. O decidir-se e pôr-se a caminho para tomar parte da missa dominical é um sagrado exercício de quem entende que seu cotidiano necessita alimentar-se na mesa que é fonte e ápice da vida cristã (cf. SC 10). Celebrar o mistério pascal em comunidade é um privilégio, mas do que uma obrigação.
  Há quem pergunte: quando começa a missa? A resposta poderia ser: a missa, enquanto momento celebrativo, começa com o canto de entrada. Contudo, a missa com expressão da vida de fé se inicia em casa, envolve a caminhada até o encontro com o Senhor. O sair de casa e o caminhar, mais do que um simples locomover-se, é movimento repleto de significado. Partir a pé ou de carro para celebrar a eucaristia em comunidade é locomover-se animados pela força da palavra de Deus que convoca para o encontro com ele. Tomar o caminho que conduz à celebração supõe romper as amarras da rotina e deixar-se mover pelo Espírito que age em vista da comunhão com Deus e com os irmãos de fé. A celebração da eucaristia é alimento da caminhada. O pão partido para um mundo novo nos é oferecido para estreitar os laços da aliança com o Senhor. Pôr-se a caminho ao encontro do Senhor revela a identidade do cristão: um ser a caminho rumo ao reino definitivo do Pai.
            Frei Faustino Paludo
Assessor de liturgia da CNBB